Filtro

Marketing de guerrilha: exemplos de ações que impactaram seus públicos

Mulher Negra em ação de marketing de guerrilha

Surpreenda seu público com experiências e estratégias criativas que somente uma campanha profissional de Marketing de Guerrilha pode garantir.

 

Em uma análise geral, o marketing é uma ciência abrangente com distintas estratégias e abordagens. Entre essas inúmeras práticas, existem aquelas que contam com linhas técnicas e fórmulas mais exatas, e outras que se utilizam de criatividade para garantirem sua repercussão e persuasão, seguindo caminhos mais ousados e pouco convencionais para venda de produtos ou serviços. Se você já leu, ou presenciou, algo mais sobre Marketing de Guerrilha, já sabe que ele se enquadra na segunda opção.

Este tipo de ação é concebido para causar impacto. Por isso, comumente é realizado em espaços públicos. O Marketing de Guerrilha é recomendado para quem quer um rápido resultado em curto prazo e precisa ser muito bem planejado para não causar o efeito contrário: ser invasivo ou incomodar. Saiba um pouco mais sobre esta estratégia e alguns exemplos para entender na prática.

 

O que é Marketing de Guerrilha?

Entre todas as modalidades do Marketing, o Marketing de Guerrilha é uma das vertentes mais criativas e, quando bem elaborado, também uma das mais eficazes. Isso porque é de sua natureza ser facilmente percebido, atacando a monotonia do cotidiano e apelando para ideias que transcendem a normalidade do ambiente, ou de parte dele.

Esse tipo de estratégia tem como objetivo ser inesquecível (no bom sentido) para seu público em potencial. Transformando marcas em assunto, pode abranger diferentes reações, como alegres, sérias, provocativas e até engraçadas.

Se formos enumerar, existem três grandes vantagens que colocam o Marketing de Guerrilha como uma prática de sucesso: o efeito surpresa, a viralização orgânica e, muito importante, a possibilidade de viabilização da campanha com baixos investimentos. Tentador, não? Vamos mostrar alguns bons exemplos mais para frente aqui neste mesmo texto.

 

Qual a origem do nome Marketing de Guerrilha?

Hoje, um dos principais termômetros do sucesso de uma campanha de Marketing de Guerrilha é sua repercussão massiva em redes sociais. Porém, a origem desta estratégia de marketing é do final dos anos 1970, quando a internet ainda era um sonho futuro. O que muitos não sabem é que essa contradição possui uma origem literária, pois o conceito de Marketing de Guerrilha foi criado por um escritor estado-unidense chamado Lay Conrad Levinson, que publicou o livro “Guerrilla Marketing” em 1984.

A relação entre o livro e a tática de comunicação se dá a partir de uma análise da Guerra do Vietnã, mais precisamente das táticas utilizadas pelos norte-vietnamitas. Estes que, diferentemente dos sul-vietnamitas, não contavam com o apoio dos EUA, tiveram que desenvolver diversas técnicas criativas de guerrilha para combaterem e atrasarem as tropas do tio Sam, que avançavam com a melhor tecnologia bélica que o dinheiro podia comprar. O insight partiu da situação onde a criatividade vencia o alto investimento monetário.

 

O que é essencial para elaborar uma campanha de Marketing de Guerrilha?

Assim como qualquer outra peça ligada ao marketing, existem infinitos modos de se atrair a atenção de certos públicos e estimulá-los ao famoso raciocínio de desejo seguido de compra.

Neste momento, ter o conhecimento do macro é tudo. Assim, antes de realmente dar o start na produção do seu conteúdo, é de suma importância desenvolver um profundo estudo para se ter catalogado quem realmente são seus clientes em potencial e o que eles buscam.

Levantei essas informações. E agora? Bom, com isso estamos na metade do caminho. A partir daí, outros procedimentos importantes entram em campo, como realizar um profundo estudo de quais ações de Marketing de Guerrilha já foram feitas objetivando atingir públicos semelhantes ao seu, pensar em maneiras criativas para se destacar de forma única, fazer uma boa seleção de locais para a ação e verificar a possibilidade de estabelecer parcerias com marcas que acrescentariam positivamente ao conceito da sua empresa. Não se pode esquecer de estabelecer KPIs e maneiras de mensurar os resultados da ação.

Como você já deve ter percebido, é um trabalho para profissionais. Assim, contratar uma agência de comunicação com experiência no assunto, como a Vision Comunicação, pode fazer toda a diferença entre gastar pouco e conseguir grandes resultados ou gastar muito com pouca efetividade.

Para deixarmos ainda mais claro como funciona essa prática, compilamos para você alguns cases que são ótimos exemplos de boas práticas de Marketing de Guerrilha. Confira:

 

Shark Week

Nos Estados Unidos, a “Semana do Tubarão”, ou a “Shark Week”, promovida pelo canal Discovery Channel, já é um programa clássico e há décadas é sempre muito aguardado por seu público durante o verão.

Neste ano, 2019, para promover a tal semana, o famoso canal televisivo encabeçou uma literalmente gigantesca campanha de Marketing de Guerrilha, instalando 5 partes infláveis de um grande tubarão branco em seu próprio prédio localizado na região de Silver Spring.

A ideia da ação era fazer com que o programa não passasse despercebido e, ao mesmo tempo, promover a própria emissora. Indo um pouco mais além, o custo operacional nestes casos sai muito mais em conta que em uma campanha convencional. Afinal, além de toda a visualização do tal tubarão gigante por parte dos moradores e visitantes, ainda existe uma massiva viralização das fotos do prédio com o tubarão em redes sociais e portais de conteúdos relacionados.

Marketing de Guerrilha - Shark Week
Créditos: Farragutful/Wikimedia Commons (CC BY-SA 3.0)

Descubra Pernambuco

Com o objetivo de divulgar os atrativos de Pernambuco aos cidadãos de São Paulo, a Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer do Estado realizou uma ação na estação Paulista e em alguns trens da linha amarela do metrô da cidade. Sem dúvida, uma das linhas mais movimentadas.

A ideia aqui foi realizar uma imersão do usuário nos atrativos de Pernambuco. Para isso, uma das saídas da estação e os vagões dos trens foram adesivados com paisagens de Porto de Galinhas, Praia dos Carneiros, Olinda, Carnaval de Recife e São João, remetendo à fauna, flora, passeios turísticos e cultura pernambucana como um todo.

Além disso, promotores com trajes de banhistas, foliões, entre outros, interagiram com os usuários do metrô, tiraram fotos e distribuíram brindes. Quem não ficaria com vontade de comprar a próxima passagem para Pernambuco depois dessa ação?

Confira algumas imagens neste link.

 

Salve o Ártico

Com a forte mensagem “Não deixe o seu futuro derreter”, o grupo de ativistas Greenpeace marcou presença na rua mais famosa de São Paulo, Avenida Paulista, com uma campanha muito bem estruturada de Marketing de Guerrilha.

O objetivo da ação era chamar a atenção das pessoas para a exploração petroleira desacerbada na região do Polo Norte. Para isso, foi colocada uma alegoria de um urso polar dentro de blocos de gelo que, fatalmente, acabariam derretendo frente aos olhos de todos que passavam pela avenida.

Como um bom Marketing de Guerrilha, a ação cumpriu seu papel gerando reflexão sobre o tema e conscientizando aqueles que se preocupam com toda vida animal residente neste ponto do planeta.

A estratégia, de certa forma, se assemelha à anterior (do metrô), pois trabalha o conceito de imersão do público. Neste caso, a ideia é “transportar” a pessoa para o Polo Norte, já que boa parte deste público jamais conseguirá realmente ver o gelo ártico derreter e entender a situação de perto.

Clique neste link para conferir um registro da ação.

 

Tabu América Latina

Utilizando São Paulo como palco do show, esse case de Marketing de Guerrilha foi elaborado e executado pela NatGeo para promover seu programa Tabu, onde se apresentam pessoas com costumes “não convencionais” que ainda são vistos com preconceito por boa parte da sociedade.

A ação não mediu esforços para chamar a atenção do público. Utilizando um guindaste, realizaram uma suspensão corporal a 50 metros de altura em plena Avenida Paulista.

O astro de toda ação foi o blogueiro Rafael Mendes, o Rafa Gnomo, 23, que era içado mais 10 metros a cada 50 hashtags #Tabu publicadas por internautas. A ação foi um sucesso, tendo levantado o blogueiro até a altura máxima planejada.

Veja aqui imagens desta ação que fez muito sucesso nas ruas e nas redes.

 

Loja Caixa de Tênis

No mundo do Marketing de Guerrilha, impressionar à primeira vista é um fator importantíssimo para legitimar a qualidade da ação. E a Adidas sabe muito bem disso.

Em uma campanha para divulgar os 50 anos da linha de tênis Stan Smith, em homenagem a um tenista norte-americano que venceu o 1º Tennis Masters Cup em 1970, foi construída uma loja especial para que os fãs. O espaço continha várias tecnologias envolvidas, como a possibilidade de colocar seu próprio rosto e assinatura nos modelos disponíveis para compra. Mas o que realmente chamou a atenção do mundo todo foi outro fator.

A loja temporária foi construída em formato de uma grande caixa de tênis – no caso, a mesma caixa do modelo Stan Smith, porém em grandes proporções. Toda a ação aconteceu em Londres e foi um grande marco para o modelo mais vendido da Adidas em toda a sua história, ultrapassando os 40 milhões de pares.

Dá uma olhada nas fotos da loja clicando aqui.

Posts relacionados

Contato

Rua Miguel Sutil, 370, Brooklin,

04583-050, São Paulo, SP, Brasil

 

5096-0697 / 5042-2004 / 5042-1999

 

contato@visionline.com.br